Número de visitantes cresce de maneira surpreendente na Tunísia

O número de visitantes e as receitas do turismo na Tunísia aumentaram significativamente no primeiro semestre de 2019 em comparação com o ano anterior, confirmando a recuperação deste setor, que sofreu ataques mortais em 2015.

Quase 4 milhões de pessoas visitaram o país nos primeiros seis meses do ano, um aumento de 16,87% em relação ao mesmo período do ano passado. O ano de 2018 marcou uma recuperação no turismo da Tunísia após anos de estagnação após dois ataques jihadistas em 2015 que atingiram turistas no Museu Bardo e no balneário de Sousse.

Um aumento de 22% nos visitantes europeus

Este aumento no número de visitantes é particularmente acentuado entre os turistas britânicos, que são duas vezes mais numerosos que em 2018. O número de visitantes europeus cresceu mais rapidamente (+ 22%) do que o número de visitantes do Magrebe (+ 18,3%).

Ao mesmo tempo, as receitas geradas pelo turismo aumentaram, com crescimento de 25,5% em euros (526,2 milhões de euros em 20 de junho) e aumento de 42,9% em dinares (1,8 bilhão de dinares). A diferença é explicada pela depreciação significativa sofrida pelo dinar tunisino por três anos.

Por outro lado, o número de dormidas aumentou mais moderadamente do que a freqüência, atingindo 7,8 milhões de dormidas em 10 de junho, de acordo com o Ministério do Turismo. Em comparação, este número foi de 13,6 milhões de dormidas para 2,9 milhões de turistas em 2010, um ano de referência do turismo antes da revolução que levou à queda do regime de Zine el-Abidine Ben Ali.

Nenhum impacto do ataque de 27 de junho no comparecimento

Em 27 de junho, um duplo atentado suicida reivindicado pela organização do Estado Islâmico matou um policial e um civil em Túnis, levantando o espectro da violência no país. Mas vários sindicatos de operadores turísticos estrangeiros indicaram que isso não levou a nenhum cancelamento significativo. “Todos os hotéis da Tunísia estão cheios, eles serão amanhã, depois de amanhã, em julho, em agosto”, disse o ministro do Turismo, René Trabelsi, que espera 9 milhões de turistas em todo o ano de 2019, um recorde para o país.

Após o levante em 2011, o país foi confrontado com um aumento do movimento jihadista, responsável pela morte de dezenas de soldados e policiais, mas também de muitos civis e 59 turistas estrangeiros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui